Mulheres Obedientes

Esta semana coloquei em discussão entre meus alunos uma notícia sobre o “Clube das Mulheres Obedientes” que surgiu na Malasia há alguns meses atrás e quero dizer que a classe pegou fogo com os debates entre os rapazes e moças que frequentam minhas aulas. Não vou fazer nenhuma observação sobre a notícia, apenas colocar uma tradução simplificada e espero que as minhas leitoras (e leitores)  deixem seus comentários ou mandem-me e-mails. Acho que a discussão vai ser bem interessante  e divertida. Afinal vocês são a favor ou contra as ideias que este “Clube de Mulheres Submissas” propõe????

Como uma jovem noiva com 22 anos, Jibāl Atirah acredita que ela sabe o segredo para um casamento feliz: Obedecer seu marido e garantir que ele está sexualmente satisfeito.

Jibāl e outras 800 mulheres muçulmanas na Malásia são membros do “Clube da Mulheres Obedientes” que está gerando uma enorme controvérsia em uma das mais modernas e progressistas Nações Muçulmana, onde muitas mulheres mantém altos postos no governo e no mundo corporativo.

O novo clube, lançado há pouco tempo, diz que pode curar males sociais como prostituição e divórcio, ensinando as mulheres a serem submissas e manter seus homens felizes no quarto.

” O Islã obriga-nos a sermos obediente aos nossos marido. Tudo o que ele diz, eu sigo. É um pecado se eu não obedecer e fazê-lo feliz” disse Jibāl, que usava um lenço amarelo.

O clube foi fundado por um grupo islâmico, conhecido como Ikhwan Global, e políticos e ativistas o consioderam como um retrocesso para a época Medieval e um insulto às mulheres modernas da Malásia. Mas as atividades do grupo, que também incluíam a criação de um clube de poligamia, mostram que os bolsões de idéias islâmicas conservadoras ainda prosperam na Malásia.

Grupos como Ikhwan Global são improváveis ganhar muita popularidade além de chocar o público. Ainda assim, há preocupação que grupos radicais poderiam angariar apoio entre outros muçulmanos, que compõem 60 por cento de uma população de 28 milhões e conturbando uma harmonia racial e religiosa cuidadosamente alimentada por décadas.

“Infelizmente ainda hoje, existem ainda muitas mulheres muçulmanas que são ignorantes dos seus direitos ou culturalmente despreapradas para exercer os seus direitos na íntegra,” disse Shahrizat Abdul Jalil, um mulher muçulmana e Ministro encarregado da política de família.

Apesar de conservadora, Rohayah Mohamad, uma das fundadoras do clube, fala abertamente das virtudes do sexo conjugal mesmo que a maioria de seus colegas é tímida sobre o tema.

“Sexo é um tabu na sociedade asiática. Temos ignorado isso em nossos casamentos mas na verdade tudo se resume ao sexo. Uma boa esposa tem que ser boa de cama para seu marido. O que há de errado em ser uma prostituta… para seu marido?”, disse ela.

“Desta forma, a instituição familiar está protegida e pode travar a males sociais,” disse Rohayah, Vice-Presidente do clube, que também é médica.

Ela disse que esposas devem ultrapassar os papéis tradicionais como boas cozinheiras ou boas mães e aprender a “obedecer, servir e divertir” seus maridos para impedi-los de se ausentarem ou de apresentar comportamento estranho.

Indiretamente, “esposas desobedientes são o motivo de agitação neste mundo” porque os homens não estão felizes em suas casas e suas mentes e almas ficam perturbadas, disse ela.

As autoridades disseram que as taxas de divórcio da Malásia duplicaram entre 2002 a 2009.

“Quando maridos vierem para casa, esposas devem recebe-los com sorrisos sedutores, serem quentes e vestir-se de forma sexy… Essa é a realidade hoje,” disse ela.

Clique aqui para o texto original aqui

.

This entry was posted in reportagens and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Mulheres Obedientes

  1. Marrie says:

    Hum, interessante…………. creio q essas mulheres estão ficando modernas!!! A questão da submissão, é mero detalhe (coisa antiga, quero dizer). O fato de pensarem em sexo como algo q deve ser vivido em sua plenitude, já é um excelente começo p/elas…………. o q esses maridos não sabem, é q correm ELES um grande risco: o de serem “elas” a começar a ” se ausentar ou apresentar comportamento estranho”….hihihi

    Ah, e como uma boa esposa q sou, sou muuuuuuuuito obediente!!! O q ele manda, eu faço! Na cama, é claro…………..rs

  2. Desnuda says:

    Olá Poeta,

    Li algo nos jornais sobre o assunto deste post e me parece ter sido proibido o tal manual. Há teorias e explicações infinitas e há quem se espelhe numa delas ou adote parte ou semelhanças. Bom o que sei é ser eu mesma e o que é bom e satisfatório para mim e creio que pro meu marido também. Se gosto de fantasia, detesto encenação e desta forma no quesito obediência seria reprovada. Os demais quesitos também já fazem parte dos hábitos sexuais da sociedade ocidental (e oriental também) e de muito longe como princípio do livre arbítrio entre o casal.

    Beijos com carinho e boa semana

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s